Agronegócio, seria ele o grande vilão?

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro

* Texto Publicado na edição Eletrônica, do dia 04/09/2014, do Jornal da Zona Sul.

Em tempos de Expointer, todos os candidatos, até aqueles partidários do MST, bem que tentam se mostrar amigos dos Produtores Rurais. Mas, por baixo dos panos a verdade é outra!

Desde o momento em que Marina Silva teve sua candidatura à Presidência da República confirmada pelo PSB, uma das principais preocupações de todos os brasileiros, com alguma noção de Economia, era qual seria o futuro do Agronegócio Brasileiro.

Hoje, o agronegócio é o setor mais importante da economia nacional, tendo até o presente momento atingido cifras de R$1,03 trilhão de reais, números estes que representam cerca de ¼ do valor total do PIB Brasileiro de 2013, que foi de R$ 4,84 trilhões. Ou seja, se não fosse por seus resultados, que ano após ano tem melhorado, ao contrário de outros setores de nossa economia, nem mesmo teríamos conseguido pagar parte de nossas dívidas.

Fico muito preocupada, ao ver pessoas, que se dizem cultas, espalhando por aí ideias mal embasadas sobre a tal vilania do agronegócio em relação à sustentabilidade ambiental, associando sua imagem, principalmente, ao aquecimento global.

No Brasil, temos observado nos últimos anos, um movimento pela busca de novas alternativas de produção agrícola, que não descartam o uso necessário de grandes áreas de cultivo e de criação de gado. Imaginem, se voltássemos aos tempos da agricultura de subsistência, seria impossível alimentar os mais de 200 milhões de brasileiros de nosso território.

Sim, o Agronegócio pode e deve ser sustentável e ecologicamente correto. Muitos de nossos produtores rurais, sabedores e estudiosos do tema tem aplicado em suas propriedades rurais a técnica da Integração de Culturas com sucesso.

Este sistema baseia-se na integração de culturas complementares; na simbiose entre as culturas empregadas, produtores, colaboradores e assistentes técnicos; e, na combinação e aplicação consciente de novas tecnologias e experiências. Se aplicado corretamente, há a dinamização da propriedade rural associada à minimização de riscos econômicos e ambientais.

Ambientais?

Sim isto mesmo, a Integração de Culturas, permite aos produtores rurais, de média e larga escala, a recuperação do solo e das pastagens degradadas, o manejo efetivo de plantas invasoras, a quebra do ciclo de infestação por pragas, a redução do uso de adubagem, o uso otimizado do maquinário agrícola (economia de combustível e diminuição da emissão de poluentes), entres outras vantagens.

E, como isto é feito? Bem, na grande maioria dos casos de sucesso no Brasil (RS, MG e MT), os produtores têm associado a plantação de arroz, soja ou de café com a plantação de árvores; e no caso do MT, a criação de gado mitigada com a plantação de árvores. A técnica de reflorestamento chega a lhes render até R$ 2.300,00 por hectare ao ano.

Por tudo isto, é chegada a hora de parar de demonizar nosso Agronegócio. A nossa Galinha dos Ovos de Ouro, necessita sim, de discussões conscientes, feitas por pessoas capazes de entender que grandes áreas de cultivo e de criação são necessárias e passíveis de ser ecologicamente sustentáveis!

O grande vilão aqui, sempre foi e sempre será a ignorância e a intolerância de algumas pessoas, que simplesmente não admitem a existência das Grandes Propriedades Rurais.

 

Sacolas Plásticas: da Vilania à Expiação.

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro

Em se tratando de Sustentabilidade ambiental a bola da vez é, sem sombra de dúvida, a utilização das sacolas plásticas.Seriam elas as reais vilãs do século?Esta é a pergunta que não quer calar.

Muito embora, alguns países economicamente desenvolvidos e também alguns estados brasileiros (Minas Gerais, São Paulo e Paraná) tenham proibido o acondicionamento de produtos em sacolas plásticas.Hoje sua culpabilidade já não é mais um ponto pacífico entre os estudiosos.

A bem da verdade, não há no mercado uma alternativa de substuituição à altura de nossas “vilãs”. Muitas das soluções ecologicamente corretas, como por exemplo sacos de papel ou as sacolas oxibiodegradáveis, tem se mostrado tão ou mais prejuciais ao ambiente do que suas antecessoras.

Na equação composta por consumidores, comerciantes e fabricantes de sacos de lixo, quem sai perdendo claramente é o consumidor. Aliás, somente os dois últimos  seriam os beneficiados pela substituição das sacolas plásticas, o varejo além de economizar quase R$ 200 milhões anuais ainda lucrará com a venda de sacolas retornáveis; e, os fabricantes de sacos de lixo, por sua vez, ficariam rindo sozinhos, já que o consumidor arcaria com um custo mensal de pelo menos R$17 reais (valor de um pacote de 40 unidades de sacos de lixo resistentes e de 15 litros).

E mais, o consumidor além de ser economicamente onerado ao comprar os substitutos das sacolinhas, ainda teria que comprar produtos destinados à limpeza e à manutenção das sacolas de algodão, isto tudo sem contar o tempo gasto na escolha do melhor e mais viável saco de lixo. Se, você leitor pensa que é fácil escolhê-los, fica aqui o convite, vá ao supermercado e veja quanto tempo se gasta escolhendo a cor, a marca, a quantidade e o preço. Sim, porque neste caso, as vezes o barato sai caro!

Levando-se em conta tudo isto, tem-se que os verdadeiros vilões são primeiramente as pessoas, que seja por falta de educação ou por preguiça, ainda não reutilizam ou descartam adequadamente as sacolas plásticas.E, claro, a indústria por trás disto, os fabricantes de sacos de lixo e, por quê não colocar nesta conta, os  fabricantes de produtos de limpeza?!?

As sacolinhas plásticas, coitadas, nada mais são do que o bode expiatório nesta questão!

Cosméticos “Verdes”, você usa?

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro

Sim, eles não são apenas a nova tendência mundial, mas também são a atual “menininha dos olhos” de muitos consumidores atentos à sustentabilidade ambiental e a preservabilidade da beleza de um modo mais natural.

Cosméticos “Verdes” são todos aqueles extraídos da natureza e, em muitos casos, aqueles que não fazem mal a ela. Mas, atenção, mesmo que eles tenham em sua composição ativos naturais cientificamente comprovados, eles trazem ainda alguns compostos químicos, necessários a obtenção de certas ações propostas por eles. Neste casos, o ativo natural age ao lado dos processos químicos, para minimizar os seus danos.

As matérias-primas naturais são menos agressivas à pele, ao cabelo e ao ambiente, além de preservarem a sua estrutura natural, diminuem substancialmente as chances de irritabilidade e alergias provenientes dos produtos. Graças aos processos biotecnológicos modernos, os ativos naturais são livres de solventes, o que possibilita formulações eficientes e suaves, que não prejudicam a natureza.

Apesar das inúmeras promessas, alguns especialistas discordam da afirmação de que os cosméticos verdes, também chamados de orgânicos, não produzem alergias,posto que qualquer substância é potencialmente apta a sensibilizar o organismo, seja ela sintética ou natural. Quanto à suavidade, os especialistas ensinam que, por exemplo, no caso de cremes antienvelhecimento, ela já não interessa tanto, pois uma certa acidez é necessária.

A comercialização deste produtos é recente e normas regulamentadoras ainda são necessárias, nenhum país possui regras oficiais que definam o que venha a ser um cosmético orgânico. Em outras palavras, suas certificadoras ainda não sabem dizer se eles devem somente contar com ingredientes orgânicos ou em que quantidade eles devam ser utilizados. o único consenso em relação ao assunto é que tais cosméticos não devem se testados em animais e nem conter matéria-prima transgênica.

A tendência atual dita que loções, cremes, óleos, shampoos, condicionadores e sabões orgânicos devam ser feitos de produtos naturais, sem a presença de parabenos, ftalatos e lauril sulfato de sódio e, ainda, acondicionados em embalagens recicláveis. Claro, que todos estes cuidados, elevam bastante o seu preço, significando em muitos casos um aumento de até 70% no seu valor final.

Falando agora do trio suspeito mencionado acima e do que é verdade em relação a sua vilania:

Parabenos: vendeu-se a ideia de que esta substância estaria intimamente ligada ao câncer de mama. O Inca (Instituto Nacional do Câncer) afirma que muito embora os parabenos sejam substâncias cancerígenas, não há nenhuma evidência comprovadamente científica da relação do uso de produtos que contenham esta substância e o desenvolvimento do câncer.

Ftalatos: apesar de já  estar comprovado que eles “mimetizam” o estrogênio, estimulando o crescimento das mamas. Muitos dos cosméticos verdes trazem em si este risco, já que a soja possui fitoestrógenos que poderiam trazer os mesmos efeitos.

Lauril Sulfato de Sódio: é o tensoativo de propriedades detergentes utilizado na maioria dos shampoos para produzir espuma, por ser muito agressivo pode causar irritações no couro cabeludo. E, apesar de ter sido veiculado que o produto teria potencial cancerígeno, a Anvisa não encontrou nenhuma publicação científica que corroborasse tal acusação.

Outros vilões:

Chumbo e Metais Pesados (Arsênico, Mercúrio, Alumínio, Zinco, Cromo e Ferro): o chumbo pode ser encontrado em batons e no corante das tinturas de cabelo. Os outros metais integram a composição de delineadores, esmaltes e pasta de clareamento dos dentes. Podem causar: anemia, alterações fisiológicas e de comportamento do organismo humano.

Amônia: substância e encontrada tanto em  tinturas de cabelo quanto em produtos de alisamento e relaxamento dos fios. Pode causar: queimaduras no couro cabeludo, irritação das vias aéreas, comprometimento da resistência e da elasticidade dos fios e queda dos mesmos.

Resorcinol (Corante): encontrado em loções e cremes esfoliantes. Pode causar: irritação na pele ( alergias ou vermelhidões).

Água Oxigenada (Peróxido de Hidrogênio): encontrada em descolorantes capilares. Pode causar: queimaduras, ressecamento dos fios e irritação cutânea.

Soda Cáustica (Hidróxido de Sódio): encontrada principalmente em produtos de alisamento capilar. Pode causar: queimaduras, forte irritação do couro cabeludo e, em contato com os olhos, pode levar à cegueira.

Diazolidinyl Urea e Imidazolidinyl Urea: encontradas em maquiagens faciais, cremes para as unhas e produtos para cabelos e pele. Podem causar: dermatites e irritação no couro cabeludo.

Guanidina: encontrada em produtos para fazer escova progressiva e alisamento capilar. Pode causar: irritação no couro cabeludo.

Benzofenona: encontrada em batons e em produtos com FPS, Pode causar: distúrbios hormonais.

Thimerasol: encontrados em máscaras de cílios, é um conservante a base de mercúrio. Pode causar: reações alérgicas e é uma conhecida neurotoxina.

Fenol: encontrado em hidratantes labiais. Pode causar: diarréia, desmaios, tontura e infertilidade, além de danos ao fígado quando absorvida ou ingerida em alta concentração.

Nylon e Poliéster: comuns em máscaras para cílios de definição, facilitam o efeito de volume e alongamento. Podem causar: dermatites de contato.

Por tudo isto, o mais certo é que o consumidor deve ficar atento ao comprar seus produtos de higiene pessoal, levando em consideração a seguinte classificação:

Cosméticos Orgânicos: compostos de 95% de matérias-primas orgânicas certificadas, o restante da formulação pode ser composta de água, matérias-primas naturais e não certificadas. Estes cosméticos são feitos de componentes cultivados sem agrotóxicos e retiraram de suas fórmulas tanto as substâncias sintéticas (corantes, fragrâncias e conservantes) quanto as derivadas do petróleo. No Brasil, somente as marcas Reserva Folio, Florestas e Magia dos Aromas conseguiram elaborar produtos totalmente orgânicos com a devida certificação do IBD (Instituto Biodinâmico) e da Ecocert, entidades responsáveis pela regulamentação destes produtos no país.

Cosméticos feitos com ingredientes ou matérias-primas orgânicas: compostos de 70 a 95% de matérias-primas certificadas, o restante da formulação pode ser composta de água, matérias-primas naturais e não certificadas.

Cosméticos naturais: compostos de pelo menos 5% de matérias-primas orgânicas certificadas, restante da formulação pode ser composta de água, matérias-primas naturais e não certificadas.

Cosméticos sustentáveis: elaborados com matéria-prima vegetal cuja extração não causa seu esgotamento na natureza e, ainda, promove o desenvolvimento das comunidades envolvidas no processo de plantio e colheita. É o caso dos cremes hidratantes a base de ativos originários da Amazônia da Natura, empresa pioneira no desenvolvimento de cosméticos verdes no Brasil.

Cosméticos recicláveis: são aqueles cosméticos comercializados por empresas preocupadas com a redução e a reciclagem das embalagens de seus produtos, afim de promover a preservação o ambiental. A Linha Nativa Spa, de O Botiário, por ter dispensado o uso de caixas de papel para o acondicionamento de seus frascos, é um bom exemplo destes cosméticos. Entretanto, na proposta de reutilização, a Natura é mais uma vez pioneira, afinal a sua portfolio conta com cerca de 140 produtos com refil, reduzindo assim, em média, 50% menos dos recursos naturais necessários à confecção das embalagens convencionais; ela, ainda, usa frascos plásticos reciclados para acondicionar os óleos corporais de uma de suas linhas, aumentando assim a vida útil dos aterros sanitários. Seguindo a linha de inovações no modo de acondicionamento, a La Façon passou a utilizar frascos oxibiodegradáveis em uma de suas linhas de hidratantes corporais, já que estes em contato com a luz e o calor prometem degradar-se em apenas 2 anos após sua fabricação.

Cosméticos pró-bichos: são aqueles produzidos por empresas (Avon, Ecologie e Surya Henna) que não os testam em animais.

 

Para não jogar dinheiro fora e gastar horas consertando a pele e os cabelos, segue abaixo a lista de alguns cosméticos verdes confiáveis:

MIDOLLO DI BAMBOO, ALFAPARF MILANO: produto utilizado no tratamento de reestruturação capilar de fios danificados, tem em sua fórmula os princípios ativos do extrato de Bambu (rico em proteínas, vitaminas e sais minerais) de ação profunda nos fios; proteínas de trigo (responsáveis por devolver o brilho e a maciez) e o óleo de algodão (que devolve o brilho e a elasticidade aos fios). A linha de tratamento é composta por produtos: shampoo, máscara, loção renovadora, spray de tratamento e ampola “Cauterization Serum”, esta última utilizada somente em cabelos que necessitem de uma nutrição ainda mais profunda.

RECONSTRUÇÃO PLÁSTICA DE ARGILA, CADIVEU: composta por argila branca (ação adstringente nos poros do couro cabeludo) que promete acelerar o crescimento dos fios, por açaí, aminoácidos revestidos e cisteína, que prometem trazer força, brilho e maciez. A aplicação é realizada com Shiatsu Capilar, técnica de massagem para obter o resultado ideal. Meninas, este eu posso garantir porque já fiz e estou louca para repetir, deixa os cabelos realmente maravilhosos e se vocês como eu usam produtos verdes na manutenção ela tem duração de cerca de 60-90 dias. Sendo que na minha humilde opinião o melhor shampoo de manutenção, neste caso, é o Very Liss da Mahogany.

LINHA LÓTUS, SCHWARZKOPF PROFESSIONAL:  composta de óleo de amaranto, flor de lótus azul (agente revitalizante) e aqualol, a máscara da linha Seah promete reestabelecer e manter a hidratação dos cabelos, através da prevenção da perda d’água e da retenção de suas moléculas hidratantes; ainda, como as demais promete condicionar, fortalecer, suavizar os fios deixando-os macios e maleáveis.

ANDIROBA AMAZÔNICA , MAXILINE: o tratamento é feito com três produtos (shampoo, revitalizador e finalizador), tendo em sua composição o óleo de  andiroba amazônica (cicatrizante e antisséptico) que promete deixar as madeixas sedosas e brilhantes, prevenindo a perda de água dos fios. É indicada para cabelos porosos, ressecados ou danificados.

HYDRARESCUE, REVLON: formulado com creatina (ativo restaurador e anti-quebra), vitaminas (A,E,B3 e H), extratos vegetais (jojoba, castanha de cavalo e de algas), o tratamento (Shampoo, Creme Hydra Rescue Repair – termoativado a 120ºC e Brilliant Hydra Elixir) é indicado para cabelos secos, frágeis, com pontas duplas e difíceis de desembaraçar, conferindo a eles hidratação e brilho intensos.

SHITAKEPLUS , BIO EXTRATUS: a linha de tratamento que conta com shampoo, condicionador, máscara, elixir nutritivo e finalizador termoprotetor, promete as usuárias brilho intenso, leveza e recuperação da fibra capilar, além de uma nutrição profunda e da reposição de sais minerais (Cálcio, Fósforo, Ferro e Potássio), através de sua fórmula inovadora a base de Shitake (Cogumelo asiático comestível, rico em antioxidantes, proteínas, aminoácidos e vitaminas B, C e D).

LINHA PH CARE , TÂNAGRA COSMÉTICOS: linha de produtos (shampoo, máscara, condicionador e leave-in) concebida para cabelos com mechas, luzes e balaiagens, tem em sua formulação a cera da casca de limão (hidratante e emoliente) e promete, além de uma profunda hidratação) a prevenção do ressecamento dos fios através da diminuição do tempo de secagem dos fios com secador.

AMPOLA MOISTURE REPAIR , MEDITERRANI PROFESSIONAL: o produto, rico em extrato de mel, queratina hidrolisada e extrato de pitanga, é indicado para os cabelos quimicamente tratados ou ressecados pela estilização constante; promete, na primeira aplicação (5 minutos), selar as cutículas dos fios, promovendo brilho e maciez duradouros.

KIT KERADVANCE EXPRESS , LUSTY: seus produtos (shampoo, máscara e leave-in) são formulados com proteínas da seda (brilho e elasticidade), extrato de chá verde (antioxodante, de ação antisséptica e adstringente) e manteiga de manga (emoliente e hidratante) e prometem além de uma hidratação intensa, brilho e elasticidade, o equilíbrio da oleosidade natural do couro cabeludo.

AQUALIZE TEXTURIZAÇÃO TÉRMICA, AMÓS: livre de formol e com duração aproximada de 20 lavagens, este processo de escova modeladora é composto por um shampoo de limpeza profunda (ácido de frutas e extrato de menta) com a função de abrir as cutículas dos fios, por um produto de texturização (Proteínas ácidas e óleo de Camelina), por uma máscara revitalizante (manteiga de manga, óleo de Canola e Óleo de Camelina) que condiciona e hidrata intensamente e por um composto de nanoproteína da seda que dá polimento aos fios.

SÉRIE NATURE, L’OREAL PROFESSIONEL: série de shampoos, condicionadores, máscaras e ampola de tratamento pré-shampoo, que segue rigorosamente as regras de formulação para a obtenção de um nível máximo de naturalidade, ou seja, seus produtos são livre de parabenos, não contem silicones, utilizam fragrâncias de origem 100% natural, alguns deles não usam corantes e outros usam corantes 100% naturais. Ainda, todos os frascos, além de serem recicláveis, são feitos de plástico reciclado pós-consumo.

Possui em seu portfolio 7 linhas de tratamento: Richesse (licopeno de tomate e óleo natural de soja) para cabelos ressecados, Re-Naitre (proteína de arroz) para cabelos extremamente sensibilizados, Cataplasme (pó de espruce e  cataplasma de ginseng) para cabelos sensibilizados e tingidos (uso exclusivamente profissional), Douceur d’ Huiles (óleos ativos de oliva e farelos) para cabelos rebeldes e indisciplinados, Pureté Naturelle (extrato orgânico de cavalinha) com propriedades antioxidantes, Infantil Tendresse (leite de pêssego) sem enxague e hipoalergênico e Abondance de Cacao (extrato de cacau, magnésio e vitaminas A, E e B2) para cabelos quimicamente tratados.

SLIMMING CAPILAR , KÉRASTASE: o tratamento conta em sua formulação com o complexo Cera-Trioleum, óleo de camelina (hidratação, maciez e brilho), óleo de damasco (nutrição interna) e  óleo de pracaxi (proteção hidrofóbica).

VITA SYSTEM, ANE ETHUN COSMÉTICA PROFISSIONAL: linha formada por 4 produtos (shampoo, condicionador, máscara e modelador de cachos) indicados para evitar o ressecamento de cabelos cacheados ou ondulados. Tem em sua fórmula fluído de abacate (restaurador da camada lipídica dos fios) rico em proteínas, ácidos graxos e vitaminas.

NEW COLOR EXTEND, REDKEN: linha composta por 5 produtos (shampoo, condicionador, máscara, spray e sérum) a base de óleo de cranberry e que promete além de evitar o desbotamento da cor, reparar, condicionar, proteger a fibra capilar das agressões ambientais, trazendo alto brilho e vitalidade máxima da cor.

COLORFIX , MATRIX: o tratamento antidesbotamento com máscara Biolage Delicate Care, composto por 3 produtos (shampoo, máscara e creme de pentear) não contem sulfatos e promete fixar a cor desde o primeiro dia de coloração, evitando a eliminação do pigmento através de um combinação de Complexo Antioxidante de Açaí e Óleo de Argan.

AGE REVITALIZE , FELITHI COSMÉTICOS: através do complexo Eco-Age, a linha anti-idade (shampoo, máscara e leave-in) promete trazer força as cabelos, alinhar as cutículas capilares, reduzir o frizz, dar brilho e suavidade e, ainda, prevenir futuros danos aos fios. Tudo isto através da combinação de ativos de maracujá, guaraná, cupuaçú, muru muru, pitanga e acerola com ativos tecnológicos ricos em vitaminas, silicones nobres e proteínas vegetais.

LINHA CDIOS ORGANICS, BOSSA NOVE: linha de tratamento capilar disponível para cabelos secos, oleosos e para todos os tipos de cabelo. Em sua composição são encontrados extratos naturais e óleos essenciais (chá verde, gengibre, erva-mate e camomila) e Óleo de Argan.

SUSTAINABLE BEAUTY MOVEMENT, VITA DERM: a linha composta por desodorante de sabonete corporal tem formulação 100% vegetal a base de ativos da Amazônia, sem conservantes, corantes ou fragrâncias artificiais.

LINHA SULFATE FREE, BELO FIO: especialmente desenvolvido para cabelos coloridos, seu ativo principal é o licopeno de tomate que combate o desbotamento dos fios. Sua fórmula é livre de sulfato de sódio, sal, corante e parabenos.

SAPIEN MEN, SURYA BRASIL:  linha orgânica desenvolvida especificamente para os homens e certificada pela ECOCERT. Conta com shampoo 2 em 1 (extratos orgânicos de Aloe Vera, acerola e bergamota, óleo essencial orgânico de hortelã, proteína hidrolizada de Amaranto, óleo de Cedro, óleo de laranja, óleo de pele de limão e magnésio),  gel modelador (extratos orgânicos de Aloe Vera e acerola, óleo essencial orgânico de hortelã, óleo de Cedro, óleo de laranja, óleo de folha de Cravo e Magnésio) ,  Shower Gel (extratos orgânicos de Aloe Vera e acerola, proteína hidrolizada de amaranto, óleo de Cedro, óleo de laranja, óleo de pele de limão, óleo de semente de macadâmia, manteiga de cupuaçú, magnésio e extrato de Saccharomyces), hidratante pós-barba, gel para barbear e esfoliante facial.

CURL & WAVE, GRANDHA: linha desenvolvida com ativos orgânicos da Amazônia e sem sulfato, promete  hidratação contínua e maior definição dos cachos.

BIO INTENSE, BUONA VISTA: linha de produtos profissionais para o rosto e corpo que promete a renovação celular sem causar alergias ou irritações, através de uma fórmula composta por ativos naturais de plantas e frutas, açúcares, proteínas, vitaminas e sais minerais.

ECO THERAPY, AMEND: linha de produtos capilares a base de ativos vegetais orgânicos, sem corante artificiais ou derivados do petróleo, para cabelos quebradiços, mistos e oleosos, secos ou coloridos.

HIMALAIA, ARVESIS: linha composta por shampoo, condicionador, loção corporal hidratante e sabonete líquido, que visam diminuir o acúmulo e os estragos causados pelo excesso de química dos produtos convencionais. E, também, refrescar, hidratar, prevenir o envelhecimento da pele e dos cabelos que ocorre principalmente no verão. Os produtos tem uma formulação exclusiva, rica em ativos exóticos, naturais e orgânicos: Amaranto, óleo de Café e de Cacau; e, sem a adição se sulfatos, parabenos, óleos minerais, corantes, sal e ingredientes de origem mineral. Totalmente biocompatíveis com a natureza orgânica e fisiológica de nossa pele.

SEEJA, GISELE BÜNCHEN: linha de produtos não testada em animais, composta de conservantes naturais e de extratos de plantas não alterados de seu estado natural. As embalagens são feitas de plástico e papel 100% reciclável e escritas com tintas à base de soja.

PLANTLOVE, CARGO COSMETICS: linha de maquiagem, totalmente naturais, sem adição de parabenos, ftalatos, petroquímicos, corantes artificiais e fragrâncias. As embalagens dos batons são inteiramente feitas de milho.

UNE, BOURJOIS: linha de maquiagem composta por  25 produtos 100% naturais (sem colorantes sintéticos) e certificados pela Ecocert.

ÉH, ÉH COSMÉTICOS: linha de cosméticos que combina produtos 100% vegetais e orgânicos, sem petroquímicos , sal ou parabenos e não testados em animais. Por tudo isto, respeita a fisiologia natural da pele e dos cabelos, permitindo uso diário e sendo hipoalergênico. Conta com desodorantes (sem perfume, refrescantes, emolientes e antissépticos), shampoos, condicionadores, máscaras, esfoliantes capilares, leave-in, sabonetes (sem sal e com ph neutro), esfoliantes corporais, hidratantes e óleos de banho.

Sobre cavalos e outros animais

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro 

Muitas pessoas, assim como eu, amam os animais e cuidam deles como se fossem seus filhos…
Recentemente, fui severamente criticada por ter expressado a minha opinião sobre o mal uso de cavalos na cidade, não acho correto que cavalos andem pra lá e prá cá e que seus donos não tenham a obrigação de limpar a sujeira de seus animais. Adoro cavalos, mas acho que eles pertencem ao campo ou à lugares como jóqueis clubes, haras, escolas de equitação, etc.
Gente cavalo, assim como cachorro, transmite doenças e, por isso são necessários certos cuidados para a prevenção de zoonoses, sendo algumas delas: a raiva (mordida e arranhões), a leptospirose (solo contaminado pela urina de animais infectados), a febre maculosa (através do carrapato), a Doença de Lyme (através do carrapato), a sarna , a actinomicose (mordida), a rinopneumorite equina, mucormicose (corte na pele e ingestão de zoósporos), o mormo (água contaminada) e a brucelose(contato direto com o animal infectado).
Raiva: sem tratamento estabelecido, todas terapias antivirais até o momento falharam, é a doença como  maior índice de fatalidade.Apenas 6 casos de sobreviventes (após infecção sintomática) foram documentados – ainda que destes, 5 já eram vacinados antes da inoculação do vírus.É importante no entanto que pessoas mordidas por animais, mesmo que não saibam se estavam raivosos, consultem imediatamente o médico e recebam a vacina no próprio dia ou no dia seguinte.
Leptospirose: A infecção nos seres humanos é freqüentemente causada por água, alimentos ou solo contaminados pela urina de animais infectados, que são ingeridos ou entram em contato com membranas mucosas ou com fissuras ou rachaduras da pele.A transmissão só ocrre quando há ,eio aquoso disponível (daí a preocupação já que os cavalos passaram o mês de setembro todo circulando pela cidade, o mês que mais choveu em POA). leptospirose é tratada com os antibióticos e pode causar as seguintes complicações: falência renal, meningite, falência hepática e deficiência respiratória, o que caracteriza a forma mais grave da doença, conhecida como doença de Weil ou síndrome de Weil. Em casos raros ocorre a morte.
Febre maculosa: transmitida pelo carrapato, os sinais e sintomas iniciais da doença incluem o início súbito de febre, dor de cabeça e dores musculares, seguidos pelo aparecimento de exantema. A doença pode ser difícil de diagnosticar nos estágios iniciais e sem tratamento rápido e apropriado pode ser fatal.Apesar da disponibilidade de tratamento eficaz e dos avanços nos cuidados médicos, aproximadamente 20% a 40% dos indivíduos que se tornam doentes ainda morrem por esta infecção.Limitar a exposição aos carrapatos é a maneira mais eficaz de reduzir a probabilidade de infecção com a febre maculosa.
Doença de Lyme: transmitida pelo carrapato, a apresentação da doença varia bastante, podendo, em seus estágios iniciais, incluir erupçäo cutânea e sintomas parecidos com os da gripe, e então manifestações musculoesqueléticas, artríticas, neurológicas, psiquiátricas e cardíacas. Na maioria dos casos, os sintomas podem ser eliminados com antibióticos, especialmente se o tratamento é iniciado precocemente. O tratamento tardio ou inadequado geralmente desenvolve o “estágio tardio” da doença de Lyme, que é debilitante e difícil de ser tratado.Se não tratada em 80% dos casos surgem após algumas semanas a dois anos
as complicações tardias, com sintomas neurológicos iniciais como meningite, encefalite e disfunção das funções intelectuais (alucinações, perdas de memória, outras), paralisia de músculos devido aos danos nos nervos; e possivelmente problemas cardiacos (15% dos casos) – arritmias (batimentos cardíacos irregulares) e pericardite (inflamação do saco que envolve o coração). Mais tarde aparecem artrites com dores nas articulações e artrite.
Mormo: É uma infecção causada eralmente pela ingestão de água ou comida contaminada. Os sintomas do mormo incluem lesões nodulares nos pulmões, mucosas nasais e gânglios linfáticos, além de corrimento viscoso nas narinas.
Brucelose: A infecção é sempre por contato direto com animais infectados ou pelo consumo do seu leite e derivados não-pasteurizados.As bactérias são ingeridas com o leite ou outros alimentos e invadem a mucosa intestinal. Também podem ser aspiradas ou penetrar por feridas em contacto com o animal.A infecção a longo prazo apesar de nunca ser agudamente mortal, diminui consideravelmente a esperança de vida e produz sintomas crónicos como a depressão, a anorexia (falta de apetite), dores de cabeça e musculares.Outras complicações possiveis da brucelose a longo prazo sem tratamento são a hepatite, artrite, espondilite, anemia, leucopenia, trombocitopenia, meningite, endocardite e problemas visuais de origem nervosa.
Por não saber se os cavalos que circulam em nossa cidade recebem os devidos tratamentos preventivos de tais doenças, apesar de adorar cavalos, prefiro reafirmar a minha opinião, de que lugar de cavalo não é na cidade e continuar indignada com o fato de que por onde eles passam deixam suas cacas espalhadas, seja na rua ou em calçadas, sujeitando a todos nós à doenças que nem sempre podem ser tratadas!
Lugar de cavalo é no campo e não na cidade ou na praia!!!

E, aos meus leitores e amigos que não possuem cavalos, mas possuem gatos e cães, cuidem bem dos seus animais, mantenham as vacinas em dia e, não se esquecendo de levar a sacolinha para o recolhimento de fezes, quando levarem seus bichinhos para passear!!!Afinal, todos nós merecemos calçadas limpas e seguras!!!!
Leptospirose

Ideias sobre Preservação e Sustentabilidade Ambiental – Parte II

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro 

Nossa, nunca pensei que iria ter uma resposta tão boa, valeu pessoal, como foram muitos os e-mails me agradecendo pelas dicas e me perguntando o quê daquilo tudo eu aplico na minha vida diária, resolvi voltar ao assunto,rsrsrsrsr…
Claro que não consigo aplicar todas as dicas em minha vida, mas com certeza procuro aplicá-las ao máximo:
1) Lixo: no prédio em que moro separamos o lixo em: orgânico, seco, vidros quebrados, pilhas/baterias e azeite. procuro sempre que possível acondicionar o lixo nas sacolinhas que recebo no mercado.
2) Limpeza: estou em processo de troca dos materiais de limpeza, mas nem sempre consigo achar os biodegradáveis no mercado. Utilizo jornais velhos para a secagem de vidros e janelas.E, só faço faxina completa de 20 em 20 dias, assim economizamos água e utillizamos minimamente produtos de limpeza agreesivos ao meio ambiente. Utilizo o mínimo possivel o aspirados de pó, afinal as vasouras são muito úteis. Gostaria muito de utilizar opapel higiênico reciclado, mas só há duas marcas no mercado, uma é uma lixa e a outra, infelizmente, é muito cara!Aliás este é um dos principais problemas dos produtos ecologicamente corretos, o preço é muito elevado!!!
3) Roupas, a lavagem ocorre duas vezes por semana. As roupas são separadas em coloridas e brancas/roupas de cama e banho/meias e lingeries, as primeiras são lavadas e amaciadas com produtos biodegradáveis e as demais com a utilização de biodegradáveis e um pouquinho de agente branqueador e tira manchas. Como moro em apartamento, só utilizo a secadora de roupas uma vez por semana, para secar: roupa de banho, moletons e meias. Passo roupa só uma vez por semana.
4) Cuidados pessoais, procuro cuidar da saúde com a utilização de produtos naturais, fitoterápicos, florais, chás e alimentação saudável, medicamentos alopáticos só quando estritamente necessários. No banho, apesar de não utilizar chuveiro elétrico, desligo o chuveiro quando estou lavando os cabelos. E, após, o banho, apesar de ter cabelos crespos e gostra deles lisos, tenho tentando com sucesso, só usar o secador e a chapinha quando realmente necessário.
Na alimentação, uso o menos possível sal, farinhas brancas, azeite e alimentos embutidos. como carne vermelha, apenas uma vez por semana!
5) Outros hábitos, procuro sempre que possível fazer tudo a pé caro só quando realmente necessário!

Bem, acho que é isso…Uma boa semana a todos!!!

Idéias sobre Preservação e Sustentabilidade Ambiental – Parte I

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro 

Devido a todos os problemas ambientais que temos experenciado, estiagem, enchentes, aquecimento global, tsunamis, entre outros tantos; o homem tem, atualmente, dado mais importância às questões referentes à rpeservação e à sustentabilidade ambiental.

O ato de preservar o meio ambiente não se restringe somente à defesa da vegetação e das águas, mas também dos animais e das próprias pessoas, ou seja, devemos preservar a Terra em sua totalidade. A sustentabilidade do meio ambiente deve ser vista como um conjunto de medidas que, se adotadas por nós, devem ser capazes de garantir o futuro de nosso planeta para as novas gerações.

Como podemos fazer isto?Adotando novos comportamentos em relação ao ambiente:
1) Não jogar lixo nas ruas: leve o seu lixo para casa e separe-o, não somente em reciclável e não reciclável, mas também separe o óleo utilizado em frituras, as pilhas e baterias e os vidros quebrados dos demais ítens.Não queime o lixo!!!
2) Antes de começar a cozinhar, organize-se, abra a geladeira o menos possível. Deixe os alimentos descongelando naturalmente, quando possível não utilize o microondas , o fogão ou o frno convencional para descongelar, isto poupa energia e gás também. guarde as sobras em potes, preferencialmente de vidro, não desperdice alimento!!!
3) Ao lavar louça, algumas dicas interessantes, otimize seu tempo, procura acumular louça em vez de ficar lavando um pouco de cada vez, lave dia sim dia não. Use detergentes biodegradáveis, se vc tem duas cubas, procure ensaboar toda a louça e só após, utilze a água quente para o enxague.E, se voc~e utiliza máquina de lavar louça, espere que ela esteja lotada, para só então dar início à lavagem.
4) Ao lavar roupa, se vc não tem uma máquina de grande capacidade, separe as roupas em categorias, aquelas que exigem molho, se possível faça-o fora da máquina gasta menos água e detergente. lave os itens de vestuário separadamente de roupas de cama e banho, o tempo de lavagem de cada categoria é diferente, você economizará energia. use sabão em pó e amaciante biodegradáveis, são mais caros, mas duram mais.
Se você necessitar usar a secadora de roupas uma dica, lave todas as roupas que vc costuma secar na máquina no mesmo dia, por exemplo: toalhas de banho, meias e roupas íntimas de algodão podem ser colocadas juntas para secar sem nenhum problema.
5) Procure passar roupa apenas uma vez por semana.
6) Ao tomar banho, desligue o chuveiro ao lavar os cabelos e para se ensaboar. Recentemente, fomos instruídos a fazer xixi no box, como uma forma de economizar a àgua da descarga, bem cada um tem o direito de fazer o que quiser, eu não seguirei esta regra, pois além deste hábito deixar o ralo com um cheiro horroroso, com o tempo o piso do banheiro ficará amarelado, qual será a solução?Sim, economizaremos a água da descarga, mas a que preço?Teremos que usar mais produtos de limpeza para limpar o piso e o ralo e tais produtos, nem sempre são biodegradáveis.
7) Se você, financeiramente, tem a possibilidade de utilizar papel higiênico ecológico, utilize-o!
8) Quando possível, deixe o carro na garagem, caminhe ou utilize os meios de transporte coletivos e, assim, estará reduzindo a emissão de gases tóxicos na atmosfera!
9) Desligue as luzes ao sair do ambiente.
10) Não escove os dentes ou faça a barba com a torneira aberta.
11)  Use menos o ar-condiconado, coloque telas nas janelas e durma com elas abertas.

Soltura dos Animais em Porto Alegre

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro

Ora, não é nenhuma novidade o problema que há muito vem sendo enfrentado por nós porto-alegrenses, qual seja ele o do imenso e crescente número de animais abandonados por seus donos nas ruas de nossa cidade.

Mas, como se isto não bastasse, recebi um sem número de e-mails com a notícia de que estas estatísticas ainda podem piorar e muito, como assim, muito se perguntarão, bem as entidades que se responsabilizam por retirar estes animais das ruas não estão mais dando conta do recado e, não é só isto, elas praticamente estão à beira de um colapso, pois não tem mais como manter os animais que já foram recolhidos.

Em outras palavras, mais cedo ou mais tarde, se algumas providências urgentes não forem tomadas e implementadas, tais entidades serão obrigadas a soltarem os animais recolhidos ou extermina-los e, então, fecharem suas portas. Fato quase tão lamentável quanto o dos donos terem os abandonado anteriormente!

(O que sei é que ao menos 15 protetores da capital estão pensando seriamente em promover a soltura ou quiçá o extermínio de pelo menos 355 animais. Tudo em prol da de sua sanidade física e mental!)

Por tudo isto, resolvi usar o meu espaço na internet para pedir a ajuda de vocês meus amigos, vamos nos unir e fazer crescer o movimento contra a soltura e o abandono dos animais e também contra o seu extermínio em série. Sim, pois como cidadãos responsáveis que somos devemos, acima de tudo, levantar as bandeiras da posse responsável e das castrações em massa!

Para tanto, já circulam na internet alguns abaixo-assinados, se você ainda não recebeu nenhum, por favor, nesta página há um link intitulado “Abaixo-assinado” é só clicar e copiar! Desta maneira, espero não somente dar a minha contribuição a este maravilhoso movimento como também possibilitar a todos que possam fazer o mesmo ou quem sabe até mais, pois com este abaixo-assinado e com as outras provas que já estão sendo recolhidas, estaremos no futuro dando início ao processo contra os maus tratos praticados na Zoonoses. Então, se você tiver alguma informação a respeito deste outro assunto entre em contato comigo, pois tenho como direcionar a denúncia de maus-tratos às pessoas certas!

Além do abaixo-assinado e do processo acima descrito, há também outras sugestões bastante interessantes:

– A Participação de todos, protetores, ONGs e Voluntários, no Fórum de Proteção aos Animais, afim de que possamos desvendar certos mistérios que pairam sobre a causa de proteção aos animais, tais como: como será efetivamente feita a soltura dos animais? Devemos informar a população de quando isto vai ocorrer? Devemos dizer que a Secretaria da Saúde está exigindo providências quanto ao nº de animais que estão sob nossos cuidados nas casas de passagem, não bastando para eles saberem o seu nº, mas também exigem de nós que nada ganhamos para salvar tais animais da morte por falta de comida, cuidados, água e um teto pra se abrigar, atestados, lista e croquis do terreno e bem como, carteiras de vacinação? E, por fim, será que devemos revelar que enquanto de nós protetores são exigidas tais providência a Prefeitura ganha 60 mil reais,para financiar a Zoonoses, um local onde há um sem nº de problemas, como superpopulação de animais, rinhas entre cães, devido ao fato destes não serem separados por tamanho ou qualquer outro tipo de seleção.

Por ano, aproximadamente, são abandonados cerca de 5000 cães. Cifra por si só absurda. Agora imagine se colocarmos aqui a estatística de todos os animais anualmente recolhidos: cães, gatos, cavalos, etc. É por isto que, precisamos de uma grande mobilização e participação no Fórum em questão. Para os que ainda não sabem, ele ocorre na última segunda-feira de cada mês na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre.

Venha e participe, contamos com sua presença e suas sugestões para que, o quanto antes, o problema do abandono e da superpopulação de animais seja solucionado!

– Mobilização, sim, devemos fazer o possível para reunir todos aqueles que militam por esta causa no Fórum e fora dele, para que o quanto antes possamos formular conceitos claros que possibilitem a formulação de planos e projetos viáveis à manutenção das casas de passagem. O Abandono definitivamente não é a solução!

– Procurar novos responsáveis para os animais que estão atualmente sob sua proteção, pois caso vocês ainda não saibam abandono de animais é crime! Mas, que bobagem estou dizendo claro que vocês sabiam disto, não é mesmo?Afinal, está é uma das várias lutas travadas por todo protetor que se preze: fazer valer a lei!

– Ter sempre presente em pensamento que os protetores tem todo o direito de serem tratados de igual pra igual durante estes Fóruns e, não simplesmente, sentar lá e ouvir promessas e só. Devemos nos unir, discutir, deliberar  e fazer proposições sem medo, afinal estamos fazendo um favor ao Poder Público: estamos executando uma tarefa para a qual ele não se encontra aparelhado e nem ao menos apto. E, infelizmente, até op momento, não demonstra o mínimo interesse em mudar este quadro tão terrível. Negligenciando assim uma obrigação sua!

– Parar de baixar a cabeça, pedindo que, por favor, o batalhão ambiental ou a EPTC cumpram um TAC assinado junto ao MP. Chega de esmolar, para que possamos ver cumpridos os termos de ajustamento de conduta emanados pelo próprio Poder Público através do MP. Fazer cumprir um TAC, nada mais é do que obrigação de tais órgãos e não um favor como eles querem nos fazer crer!

– Resgatar o projeto a respeito da atualização da legislação sobre a entrega de animais aos CCZs.

– Ter coragem para por avante o Projeto que acabará definitivamente com a utilização de carroças nesta cidade, um atraso para todos nós e uma violência severamente imposta aos animais que não têm como se defender!

E, por fim é com grande satisfação que acabo de receber em meu e-mail a seguinte notícia: Câmara Municipal aprova por unanimidade o Projeto – de Lei “Programa de Proteção aos Animais Domésticos”

“A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou nesta quarta-feira (14/12) o projeto “Programa e Proteção aos Animais Domésticos”, de autoria dos vereadores Sebastião Melo (PMDB) e Beto Moesch (PP). A proposta tem como objetivos o estímulo à posse responsável através da educação ambiental, esterilização gratuita de animais   domésticos, destinação de local para sepultamento e incentivo a adoção de animais. A posse responsável implica tratamento adequado à espécie, inclusive vacinação. Os animais perdidos e abandonados serão recolhidos a abrigos para fins de adoção. O projeto não interferirá no exercício dos cultos e liturgias religiosas.   O vereador também é o autor do projeto que prevê a retirada gradativa das carroças das ruas de Porto Alegre. Atualmente, circulam em Porto Alegre cerca de 8 mil carroças.

Junte-se a nós e abrace esta causa!

Entradas Mais Antigas Anteriores

%d blogueiros gostam disto: