2016: Encerramento de Ciclos; 2017: Responsabilidade e Respeito

Conforme a astrologia, um determinado planeta nos governa por um período de 36 anos. Em outras palavras, de 36 em 36 anos vivemos sob a dinâmica deste planeta e, portanto suas características se tornarão visíveis por todo este período.

O Sol, astro dos astros, está a nos reger desde 1981. E o que temos observado desde então?!?

Sim, isto mesmo, um mundo e seus habitantes preocupados com o brilho pessoal, voltados ao egocentrismo e à necessidade de pronta resolução dos desejos individuais. O Individualismo cresceu exponencialmente enquanto que o respeito aos outros foi esquecido. Nunca antes, tínhamos tido tanta a Exaltação do EU: “Meu Corpo, minhas escolhas”, “Eu quero agora, é meu direito/minha necessidade”.

Não é a toa, que elegmos nos últimos 2-3 anos as Selfies, como símbolo máximo de nossas representatividade pessoal e de nosso egocentrismo nas redes sociais.

O Sol representa a “criança interior” de cada um.E, também , por isto, que os bebês do milênio foram criados sobre a égide do mimo exagerado, tornando os pais incapazes de por limites em seus desejos: eles dormem quando querem, comem o que querem e interferem de modo negativo e totalmente questionável na vida de quem os cerca (as birras são um exemplo bem claro disto).

Sim, isto mesmo, acabamos criando crianças incapazes de demonstrar seus reais e verdadeiros propósitos, de forma respeitosa, criativa e adequada. A nova geração é orgulhosa e adora ostentar, se tornou prepotente e autoritária ao extremo. E, por que isto aconteceu? Bem, porque que os criou, talvez por culpa, tenha tido a necessidade de elogiá-los em excesso e de recompensá-los por tudo.

2016, ano 9,  é o ano de término do ciclo solar e também, segundo a numerologia, um ano de encerramentos. O que isto significa?

Que uma grande parte de nós vivenciou um sem número de momentos de perdas e renúncias, não é a toa que vemos nas redes sociais muitos de nossos amigos afirmando que não aguentam mais 2016 (um ano que nunca acaba).

Que fomos desafiados a nos desapegar de tudo o que era inconsistente.

Que muitos de nós tiveram uma sensação de angustia de viver, um vazio existencial, apatia, impotência, inatividade ou falta de um propósito; sentimentos e sensações que podem exigir a busca de um significado para a vida.

Que devemos nos aquietar e apreciar o impulso da mudança. Alguns de nós têm se perguntado: “O que vai ser amanhã? Como vai ser? O que eu vou fazer?” Bem, algo grande está vindo e aquietar-se e apreciar, não significa ficar parado, fazendo nada; mas, sim que devemos apreciar cada momento com o que nós temos naquele momento.

Em 2017, começa o ciclo de Saturno e com ele veremos a necessidade de impor limites (não é a toa que a Sociedade clama por Policiamento, Punição e Justiça), de perseverar frente às limitações, de ter paciência, de sermos firmes e responsáveis. A experiência, a competência, o esforço contínuo e disciplinado serão muito valorizados.

A dissolução do ego será a meta, trazendo mais responsabilidade ( a palavra Direito deverá ser trocada pela palavra Dever), rigor, severidade, justiça, e, também, o destaque e o reconhecimento através do trabalho duro.

Deus passará a exigir maturidade e responsabilidade, o amadurecimento espiritual será cobrado. 2017 será o ano da unificação, um ano de encontros e reencontros de almas.

Aos governantes será exigida uma postura menos vaidosa, mais séria, responsável e conservadora.

Os próximos anos serão de grande aprendizado:

  1. Não posso tudo o que eu quero, ou seja, querer não é poder!
  2. Minha liberdade termina onde começa a do outro.
  3. Aprender a olhar para dentro de si, para enfim descobrir o verdadeiro poder!
  4. Ultrapassar as barreiras da autopunição, da autonegação e da baixa autoestima, para quem sabe conseguir descobrir o seu verdadeiro potencial.
  5. A União faz a força! Mas, isto não significa que devemos abraçar e lutar por tudo e por todos, que temos que concordar com o que o outro diz quando não concordamos!
  6. O respeito, acima de tudo, é o que mantém a energia ativa e possibilita que possamos ir em frente de cabeça erguida.
  7. Não desperdice suas energias brigando para cegamente defender seus pontos de vista.
  8. A vida é a nossa grande mestra. Tudo o que nos acontece está de algum modo nos favorecendo, seja para nos melhorarmos, seja pra nos despertarmos da nossa zona de conforto, ou mesmo para adquirirmos alguma habilidade ou mudarmos algum aspecto. O propósito sempre o aprimoramento.

(Em construção)


O que é a vida?

Por Joséli Costa Jantsch Ribeiro

Os líderes pensam que a vida é estar sempre no topo e que ela deve ser medida ou avaliada pelo número de amigos que você tem ou por quão aceito socialmente você é.

Os adolescentes, simploriamente, vêem a vida com base nos planos para o fim-de-semana e tem por pensamento que ela realmente não vale nada se estão sozinhos, a vida em grupo é essencial, pois a vida para eles encontra explicação nas pessoas com quem eles partilham seus sentimentos e frustrações: amigos, “ficantes” ou namorados. É, ainda, nesta fase da vida que se tem por preocupação o número de pessoas com quem “ficamos” ou namoramos, o que importa então é que a vida se resume em quantidade e não em qualidade!

Para os superficiais, a vida se resume na família da qual você vem, quanto dinheiro ela tem, qual o carro que você dirige, quais os cubes e danceterias da moda que você freqüenta e se, por fim, você se sobressai nas atividades que escolheu. A vida é tão somente “status”.

Para os egocêntricos, a vida é medida pelo sucesso que irradiam para o seu círculo social, pois não basta para eles serem inteligentes e bem sucedidos, eles precisam de uma constante aprovação social. A vida para eles é medida através do reconhecimento e dos elogios que recebem de amigos e familiares, até mesmo porque, eles precisam ser eternamente considerados o “centro das atenções”!

Por fim, para os narcisistas e egoístas, a vida se baseia, respectivamente, na beleza externa (marcas e modelos que estão na moda) e nos seus objetivos de vida (bens materiais, principalmente), que devem ser alcançados custe o que custar, doa a quem doer!

Na realidade, a vida deve ser bem mais do que isto! Ela deve, primeiramente, referir-se àqueles a quem você ama e magoa e àqueles a quem, propositalmente, você leva felicidade ou infelicidade.

Seguindo este raciocínio temos que, a vida também pode ser explicada através da amizade que, acima de tudo, deve ser considerada sagrada e, por isto, não deve ser utilizada como uma arma. A vida é conquistar, manter e jamais trair a confiança daquelas pessoas que certo dia confiaram em você!

A vida é intenção, é aquilo que você diz e não o que você queria dizer. Muitas vezes, pode machucar, mas certamente haverá momentos ou situações em que suas palavras poderão ser fontes de inspiração de ânimo ou de conforto. Sob este prisma, a vida encontra-se baseada em seus julgamentos, na forma e para quem você os dirige.

A vida pode ainda ser medida através do número de pessoas que você escolheu, controlada e intencionalmente, ignorar.

Ela é sentimento, seja ciúme, inveja, medo, ignorância, ódio ou amor, mas atenção, somente você é capaz de escolher o que vai carregar dentro de si, deixar cresce e após espalhar aos quatro cantos, por isto escolha bem!

Mas, acima de tudo, a vida é escolha, somente nós, os seres humanos, temos o poder de decidir como os corações alheios serão afetados, ou seja, se serão tocados pelo mais puro amor ou se serão sumariamente envenenados e despedaçados, de um modo que jamais aconteceria se tais pessoas não tivessem lhe conhecido.

Por tudo isto, não se esqueça, suas escolhas representam o que a vida realmente é!

%d blogueiros gostam disto: